google-site-verification: googled55d6f38886f7832.html google-site-verification: googled55d6f38886f7832.html
 

TIPOS DE PAVIMENTO



Há diferente tipos de pavimento e suas respectivas formas de projetar, metodologias e particularidades. Os especialistas neste tipo de trabalho utilizam meios convencionais e, consequentemente, não se atualizam das informações recentes. Entenda os tipos e principais utilizações de pavimentos.


Índice do artigo


  • O que é pavimento

  • Tipos de pavimento

  • Pavimento rígido

  • Pavimento Semirrígido


 

O que é pavimento


O pavimento é uma estrutura que é composta por algumas camadas de diferentes espessuras e que possuem distintas funções. Elas são responsáveis por fornecer aos usuários segurança e conforto e devem seguir a melhor relação entre máxima qualidade e menor custo.


Além disso, de acordo com a NBR-7207/82 da ABNT, pavimento pode ser definido como a estrutura responsável por distribuir e resistir aos esforços aplicados, melhorar as condições de rolamento e resistir aos esforços horizontais.


 

Tipos de pavimento


Para entender melhor e aprimorar a aplicação dos pavimentos em diferentes espaços, os pavimentos possuem diversas classificações. Dentre eles tem-se o pavimento flexível e o pavimento rígido e o semirrígido.


O pavimento flexível pode ser definido como aqueles constituídos por camadas que não trabalham à tração, em sua maioria são constituídos de uma camada betuminosa sobre outras granulares.


A sua capacidade de suporte ocorre em função do comportamento de distribuição das cargas por um sistema de camadas, na qual, as de melhor qualidade se encontram próximas ao local de aplicação das cargas.


Quando ocorre o dimensionamento de uma forma tradicional, é considerada as características geotécnicas dos materiais que irão compor o pavimento. Por sua vez, a definição das espessuras das camadas ocorre de acordo com o valor do CBR e do mínimo de solicitação que existe em um eixo padrão.


Além disso, ao considerar o proposto pelo Manual de Pavimentação (DNIT,2006). O pavimento flexível é aquele em que todas as camadas do perfil sofrem deformações elásticas e distribuem elas de forma aproximadamente parecida entre as mesmas.


 

Pavimento rígido


Esse tipo de pavimento é definido, segundo o Manual de Pavimentação do DNIT, como aquele que possui uma elevada rigidez em relação às camadas inferiores, uma vez que este absorve praticamente todas as tensões que provêm do carregamento.


Tipos de pavimento para melhor tráfego de carros.
PAVIMENTO ASFÁLTICO

 

Pavimento Semirrígido


Essa é uma situação intermediária entre os dois pavimentos citados anteriormente. Ele pode ser definido como o tipo que possui uma camada cimentada sobre uma betuminosa.


Este pavimento reforçado de concreto asfáltico sobre a placa de concreto é considerado como pavimento composto. E de acordo com Manual de Pavimentação (IPR, 2006), este pode ser definido como a composição de uma base cimentada por algum aglutinante cimentício.


Máquinas trabalhando para deixar o asfalto mais liso.
ASFALTAMENTO DE UMA RUA

 

Nomenclatura da seção transversal


1) Subleito


Trata-se do terreno em que será apoiado toda a estrutura do pavimento. Ele deve ser estudado até a profundidade em que as cargas impostas exercem influência. O subleito pode ser comparado ao comportamento e função de uma fundação em uma edificação. Contudo, a estrutura do pavimento será formada a partir da terraplanagem do local. Essa camada deve ser bem resistente e desta forma está sujeita a reforços caso seja necessário.


É importante que o subleito seja formado por material natural compactado e consolidado, como por exemplo, em cortes dos corpos de estradas ou por um material que foi transportado em caso de aterros.


O peso próprio do pavimento que foi projetado deve transmitir para o subleito uma pressão maior ou igual do que a determinada por projetos realizados anteriormente. Caso isso não seja possível, e o peso da estrutura não for suficiente para proporcionar essa pressão pré-determinada , deve ocorrer uma substituição dos solos (em espessuras definidas em estudos geotécnicos).


Há ainda a possibilidade de regularização do subleito, com a realização de uma operação para conformar o leito , seja transversal ou longitudinalmente. É importante ressaltar que esta operação pode ou não ocorrer dependendo das condições dessa estrutura. Caso ocorra, compreende cortes ou aterros de até 20 cm de espessura.


Além disso, pode ser realizado o reforço do subleito , com uma camada de espessura constante transversalmente e variável longitudinalmente e segue o dimensionamento do pavimento. E fazendo parte deste e por circunstâncias técnicas ou econômicas será realizada sobre o subleito regularizado. Sua função está em melhorar a qualidade do subleito e regularizar a espessura da sub-base.


2) Sub-base


Essa camada pode ser definida como um complemento a base , quando não for interessante realizar a base diretamente no subleito.


Em condições gerais, o material que constitui esse perfil deve possuir características tecnológicas superiores ao material da camada inferior e seguindo a mesma lógica, o material da base deve ser melhor que o desta camada.


Estes materiais que podem ser: misturas de solos, solos estabilizados quimicamente, solos e misturas de solos; devem apresentar as seguintes características:


  • Expansão máxima de 1%

  • Capacidade de suporte maior ou igual a 30%


3) Base


Esta é a camada destinada a resistir e distribuir ao subleito as cargas e esforços realizados pelo tráfego. No caso de pavimentos rígidos, essa camada é dispensada.


Ela também pode ser entendida como a principal camada do pavimento , pois está imediatamente abaixo do revestimento e além de ter de dissipar e absorver os esforços impostos. Esta será responsável por apresentar o suporte estrutural do pavimento. Além de distribuir as cargas para as próximas camadas.


Se ela não for realizada segundo o planejamento pode promover problemas para toda a estrutura do pavimento. Ademais, de acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem , os materiais que compõem a base na estrutura de um pavimento devem possuir os seguintes comportamentos técnicos:


  • Expansão máxima de 1%

  • Capacidade de suporte superior ou igual a 80%


4) Revestimento


Por fim, esta é a camada que realmente vai sofrer as ações diretas das solicitações de tráfego. A sua função está em melhorar as condições de rolamento quanto a segurança e rolamento dos veículos, além de ser o principal agente responsável por resistir ao desgaste. Pois esta tem de suportar o os esforços horizontais que nela atuam, promovendo assim uma maior vida útil da estrutura.


O revestimento costuma ser o mais impermeável possível e com isto exige o planejamento de drenagem de águas pluviais, isso irá proporcionar um aumento na durabilidade e segurança e se resume a vários mecanismos para desviar e desconcentrar a água do pavimento.


Ela pode ser realizada de duas formas:

  • Superficial: coleta as águas transversais que caem sobre a pista

  • Subterrânea: coleta da água presente no subsolo que possa aflorar ou percolar a estrutura, ocorrendo no lençol freático e tem como objetivo manter o nível de água em uma faixa de 1,5 a 2 metros abaixo do nível do subleito da rodovia.


 

Estes são alguns tipos de pavimento da atualidade e presentes no mercado. Todos eles possuem suas vantagens e desvantagens, procurar sempre saber qual o melhor para a situação em questão.


Gostou desse assunto e quer saber mais? Então confira as principais novidades da Engenharia Civil e Mercado Imobiliário no nosso blog. Além de conferir mais artigos relacionados a esse assunto, como NOVAS TECNOLOGIAS NA ENGENHARIA CIVIL.

16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo