google-site-verification: googled55d6f38886f7832.html google-site-verification: googled55d6f38886f7832.html
 

IMPORTÂNCIA DA ACESSIBILIDADE NO SEU PROJETO ARQUITETÔNICO


Descrição do Título do artigo juntamente à foto ilustrativa

Saiba mais sobre como o Projeto de Acessibilidade pode impactar na sua construção! Já se perguntou como aplicar esse projeto e as consequências para seu negócio ou residência? Então confira essas dicas e aplique na sua obra!


Índice do Artigo:

• O que é o projeto de acessibilidade?

• Por que considerar a acessibilidade no seu projeto?

• Aplicações no seu projeto

• Exemplos reais de Projeto de Acessibilidade


 

O que é o Projeto de Acessibilidade?


Segundo o Decreto nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004, o conceito de acessibilidade é descrito como “a condição para utilização, com segurança e autonomia, total ou assistida, dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte e dos dispositivos, sistemas e meios de comunicação e informação, por pessoa com deficiência ou com mobilidade reduzida”.


Planejamento de um engenheiro ou arquiteto a respeito de de projeto arquitetônico levando em consideração a acessibilidade.
Planejar no Projeto Arquitetônico

No caso desse artigo, trataremos sobre o conceito de acessibilidade na arquitetura e espaço urbano. Também abordaremos as principais dicas para uma aplicabilidade correta desse projeto e sua importância para a sociedade.


Seja uma construção nova ou um projeto de reforma, é imprescindível a elaboração de um projeto de acessibilidade. Importante ressaltar que como previsto pela ABNT NBR 9050, o projeto arquitetônico já deve seguir algumas condições de acessibilidade. Sendo assim, o projeto de acessibilidade inclui diversos detalhes que procuram gerar conforto e segurança a todos os usuários do espaço.


Apesar do projeto de acessibilidade estar previsto por lei, a maior parte das construções ainda não o implementou. Esse fator prejudica muito a inclusão social de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.


Agora que você já entendeu sua importância e conhece sua obrigatoriedade, confira porque e como incluí-lo no seu projeto!


Gostaria de conhecer um pouco mais sobre as principais tecnologias na engenharia civil? Não deixe de conferir nosso blog.


 

Por que considerar a acessibilidade no seu projeto?


Acessibilidade não se limita apenas à inclusão de pessoas com necessidades especiais ou mobilidade reduzida, mas também abrange toda a população. Dessa forma, o conceito de acessibilidade está diretamente ligado à inclusão e eliminar as barreiras de locomoção. Consequentemente, toda a população pode ter acesso a serviços e informações, com isso, teremos uma sociedade mais justa para todos.


Ilustração de diferentes tipos pessoas, mostrando a importância da acessibilidade.
ACESSIBILIDADE PARA TODOS

Com relação à acessibilidade no Brasil temos algumas informações segundo o último Censo. A porcentagem de pessoas que declararam possuir algum tipo de deficiência corresponde a 23,9%, porém, esse valor não para por ai. É importante considerar os acompanhantes de pessoas com necessidades especiais e idosos a essa lista. Considerando todas essas pessoas afetadas pela acessibilidade, chega-se a cerca de 63% da população brasileira.


Considerando que essa porcentagem corresponde a mais da metade da população brasileira, investir em acessibilidade não deve ser considerado um gasto extra. Muito pelo contrário, como já exposto nesse artigo, o projeto de acessibilidade é obrigação para a inclusão da população.


Pensando nos resultados do seu negócio, investir em acessibilidade significa aumentar suas possibilidades de novos clientes. Significa investir no desenvolvimento do seu estabelecimento e abranger outros grupos da sociedade.


 

Aplicações no seu projeto


Adaptações no banheiro


As soluções para adaptação em banheiros podem ser bem variadas, tudo depende do tipo de projeto e as exigências do cliente. O primeiro ponto de exigência é a largura da porta, nesse caso a largura mínima deve ser de 80 cm. Apesar de ser uma dimensão mínima, para o melhor conforto do usuário, recomenda-se uma porta de largura de 90 cm.


Banheiro adaptado para pessoas com necessidades especiais.
ADAPTAÇÃO PARA BANHEIROS

Com relação ao piso do banheiro, deve-se evitar o uso de degraus, com exceção do desnível no box. Também deve-se atentar ao espaço de circulação para cadeiras de rodas. Levando em conta que muitos usuários não possuem cadeira específica para se locomover nesse ambiente.


O uso das barras de apoio ao lado da bacia, pia e box é fundamental para a melhor acessibilidade do usuário. Importante informar que há diferentes tipos de barra no mercado, podendo ser dobráveis ou não. Além de também serem diferenciadas pelo material de fabricação, metal ou PVC, no que se refere ao mercado brasileiro.


Todas as barras de apoio dever ser fixadas a uma distância mínima de 40 mm entre a base de suporte até a face interna da barra. Também devem estar firmemente fixadas e serem resistentes, suportando no mínimo 150 kg.


O próximo ponto de atenção são os armários. Enquanto que em um banheiro convencional os armários estariam sob a pia, nos banheiros acessíveis isso é proibido. A altura da pia deve estar a 80 cm do chão, respeitando 70 cm de acesso livre para o usuário.

Com relação às prateleiras, elas não devem ultrapassar 1,20 m de altura. Porém devem ser usadas comedidamente, pensando em não dificultar a circulação do usuário.


As recomendações não param por aqui, existem muitas outras aplicações e equipamentos que podem ser utilizados. Dito tudo isso, a ideia principal sempre será facilitar a locomoção do usuário no espaço e evitar possíveis acidentes.



Vagas de estacionamento


A quantidade de vagas reservadas às pessoas com necessidades especiais é definida pelo Plano Diretor de cada cidade. Para definir essa quantidade os fatores determinantes são a área construída e a classificação do uso da edificação.


Imagem demonstrativa de vagas para deficientes físicos.
VAGAS RESERVADAS

Além de serem localizadas próximo à entrada, essas vagas devem conter sinalizações no padrão internacional.



Rampas


Tanto em construções comerciais, quanto em residenciais, a presença de rampas de acesso é imprescindível. Além de gerar mais conforto, as rampas também proporcionam mais autonomia ao usuário.


Imagem ilustra um conjunto de rampas juntamente com seus respectivos corrimãos.
USO DE CORRIMÃOS E RAMPAS

Para ser considerada uma rampa, o piso deve conter declividade maior ou igual a 5%. Porém para garantir conforto e acessibilidade a inclinação máxima recomendada deve ser de 8,33%. Outra característica da construção é que rampas que se encontram entre 6,25% e 8,33%, é recomendado que a cada 50 metros crie-se uma área de descanso nos patamares.

Com relação à largura, essa dimensão não deve ser inferior à 1,20 m, porém a largura será estabelecida conforme o fluxo de pessoas. Na construção do corrimão, ele deve ser de duas alturas em cada lado.



Corredores


Para o dimensionamento dos corredores, considera-se o fluxo de pessoas para garantir um boa circulação e sem obstáculos. Para corredores de uso comum e comprimento de até 4,00 m, a largura mínima é de 0,90 m. Já os corredores com extensão de até 10,00 m devem ter largura mínima de 1,20 m e caso ultrapassem 10,00 m sua largura passa a ser de 1,50 m.

Por fim, corredores de uso público também dever ter largura mínima de 1,50 m. Caso tenham grande fluxo de pessoas essa largura deve ser superior a 1,50 m.



Piso podotátil


O piso podotátil é uma solução de acessibilidade que visa alertar pessoas com deficiência visual sobre possíveis obstáculos. Esse tipo de piso é geralmente aplicado em áreas externas, com a fabricação em concreto. No caso de uso interno, o material mais utilizado é PVC.


Imagem ilustrativa de calçada com uso de piso podotátil para auxiliar deficientes visuais.
PISO PODOTÁTIL

As recomendações não param por aqui! O projeto de acessibilidade possui muitos detalhes que visam o conforto do usuário. Tem dúvidas sobre seu projeto arquitetônico? Entre em contato com a gente ou acesse nosso blog para mais informações!


 

Exemplos reais de Projeto de Acessibilidade


Escola Estadual Votorantim


A Escola Estadual Votorantim localiza-se na cidade de Votorantim e é uma construção fundamental para servir de exemplo. Recentemente ela sofreu uma reforma em seu espaço para poder atender melhor os alunos com deficiência visual.


Pátio de escola com acessibilidade na cidade de Votorantim.
ESCOLA ESTADUAL VOTORANTIM

Nesse projeto foram implementados o piso podotátil mencionado anteriormente. Além de contar com rampas e corrimãos nas áreas comuns. Confira a seguir algumas imagens desse projeto:

Rampas de ligação do pavimento inferior com o pavimento superior na escola Estadual de Votorantim.
RAMPAS ACESSIVEIS

Acesso por meio de rampas para o piso superior na escola Estadual de Votorantim.
ACESSO AO PISO SUPERIOR

Pátio localizado na escola Estadual de Votorantim.
PÁTIO ESCOLAR


Casa adaptada para deficiente visual


Nosso próximo exemplo é a casa feita para uma cliente da So & So Studio. A casa se localiza em Thiene (Itália) e possui algumas peculiaridades. A cliente já estava adaptada à antiga casa e isso é um grande desafio nesse tipo de projeto. Dessa forma, é imprescindível que o processo de adaptação seja natural e confortável para o usuário.

Cozinha de uma casa com suporte à pessoas com necessidades especiais.
COZINHA INTEGRADA

Um ponto importante desse projeto foi a escolha dos materiais, a arquitetura do espaço procurou guiar os usuários pelo sistema de mapeamento integrado. Foi utilizado muita pedra e porcelanato, procurando o equilíbrio de texturas no projeto.


Com relação às definições principais do projeto arquitetônico, o primeiro grande passo foi a criação de um corredor central. Esse aspecto é importante pois evita possíveis confusões enquanto o usuário se locomove. Esse corredor central atua como ligação dos principais cômodos da casa e garante um projeto integrado e simples. Confira um pouco desse projeto nas imagens a seguir:


Planta baixa com fluxo de movimentação dos moradores da casa.
FLUXO DE MOVIMENTAÇÃO

Planta baixa com sistema de piso podotátil.
PLANTA BAIXA

Imagem ilustrando piso diferenciado parta que aja a interpretação de obstáculos para pessoas com deficiência visual.
PISO PODOTÁTIL


Ficou curioso sobre as principais características de um projeto arquitetônico? Confira nosso blog e acesse os principais assuntos da Engenharia Civil e Arquitetura!


Para concluir, esperamos que você tenha entendido um pouco mais sobre as características do projeto de acessibilidade. Como também a importância de sua implementação, sendo um projeto indispensável para a inclusão de toda a sociedade!


Gostou desse assunto e quer saber mais? Então confira as principais novidades da Engenharia Civil e Mercado Imobiliário no nosso blog. Além de conferir nossos principais serviços! Visualização 3D, Projeto Arquitetônico e Regularização!


Consideramos que a inclusão e acessibilidade é indispensável na elaboração do projeto e estamos dispostos a te ajudar! Não deixe de conferir nossas Redes Sociais, estamos sempre postando nossos principais projetos!





288 visualizações0 comentário